top of page

My name. Click to edit me.

ALENCAR MARTINS NETO

Nasceu na cidade de São Paulo. Integra o A I V U Teatro desde 2013.

 

Formado em bandolim pela Universidade Livre de Música Tom Jobim (2009) e bacharel em violão popular pela Faculdade Cantareira (2012), estudou composição popular com Eduardo Gudin, violão 7 cordas com Edmilson Capelupi, e atualmente estuda orquestração e arranjo com Julio Cesar Figueiredo.

 

Em fevereiro de 2014, esteve junto com a artista-criadora, Renata Vendramin, em Bogotá, na Colômbia, ministrando a oficina TEIA DRAMATÚRGICA: DRAMATURGIA CÊNICA TECIDA COM PALAVRA, MÚSICA E DANÇA, na sede do grupo de teatro Varasanta, onde compartilharam um pouco dos exercícios de treinamento do ator e de criação do espetáculo A PRÓXIMA HISTÓRIA. Ao longo dos últimos anos trabalhou com diversos grupos de teatro e dança de São Paulo, como Sobrevento, Instituto Brincante, Pia Fraus, Teatro de Senhoritas, Gumboot Dance Brasil, Cia Tricromática... Criou trilhas sonoras e assinou direção musical de espetáculos de dança e teatro como: AMADO e Fino Fio (instituto Brincante), A Próxima História (AIVU Teatro), Tucantaconto (Cia Tricromática) entre outros...

 

Como músico arranjou e produziu o disco de artistas como Flaira Ferro, Luiza Kolya, JOVA, Juh Fernandes... Trabalhou na gravação de álbuns e singles de artistas como Antônio Nóbrega, Mônica Salmaso, Ceumar, Gaby Amarantos, Proveta, Zé Pitoco... Como músico acompanhou artistas como Armandinho Macêdo, Antônio Nóbrega, Spok, Zé Pitoco, Fernando Anitele, Karina Buhr, Flaira Ferro, entre outros.

 

Atualmente trabalha como engenheiro de áudio e produtor musical a frente do Juá estúdio, produzindo artistas e grupos, criando trilhas sonoras para espetáculos, jingles e diversos tipos de produções audiovisuais.

 

“A música surge para mim na adolescência como uma forma de ocupar minhas tediosas tardes urbanas.

 

Ao ganhar meu primeiro violão passo a ter um grande companheiro, em momentos bons ou ruins sempre se fazia ouvir e cada nota sabia encontrar o lugar exato para trazer conforto a qualquer situação.

Assim se iniciou uma grande e preciosa jornada repleta de descobrimentos. Sou músico de formação e de ofício, hoje porém, enxergo a música como algo maior, uma parte de um todo que juntamente com a dança, o teatro e tantas outras manifestações artísticas fazem pulsar a vida que habita em mim.

 

Creio que essa jornada ainda me levará a muitos lugares diferentes, por agora basta dizer que sigo caminhando … "

2010 - present

2010 - present

My name. Click to edit me.

GUSTAVO SARZI

Nasceu em Botucatu, São Paulo. Integra o A I V U Teatro desde 2013.

 

Graduou-se Bacharel em Música com habilitação em Composição pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP) em 2010 sob a orientação de Aylton Escobar e colaboração de Antonio Adolfo.

 

Estudou piano MPB/Jazz e improvisação com Paulo Braga e André Marques no Conservatório Dramático e Musical de Tatuí (CMDCC – 2003). Foi premiado nos festivais “Botucanto” (Botucatu/SP, 2005) e “Americanta” (Americana/SP, 2004 e 2005) na categoria Música Instrumental.

 

Realizou gravações com os artistas: Fabiana Cozza, Amélia Rabello, Miucha, Olivia Byigton, Danilo Caymmi, e shows com Lívio Tragtenberg, Cida Moreira, entre outros. Fez direção musical dos shows “São Ismael Silva” (com Cristina Buaque, Jards Macalé, Barão do pandeiro e Ná Ozzetti), “Um Grito Solto No Ar” (com Georgette Fadel) e “Na Boca do Lobo” (com Cida Moreira e Heron Coelho); e das peças teatrais: “Pedrinho Jaçanã ”, projeto de inclusão social realizado pela secretaria do Estado de São Paulo, “Luis Antonio Gabriela”, documentário cênico com a Cia Mungunzá e “Sete gatinhos” peça de Nelson Rodrigues e direção de Nelson Baskerville.

 

Desenvolve repertório autoral com o flautista Enrique Menezes (“Coro de grilo”) trabalhando no duo piano e flauta as inúmeras possibilidades de improvisação aplicadas na composição e no arranjo. http://issuu.com/gustavosarzi/docs/bom

 

É integrante da Cia Munguzá de teatro, onde trabalha música com atores, ministrando oficinas interativas que estimulam a musicalidade, a percepção auditiva e a espontaneidade dos artistas na criação sonora dos espetáculos. http://ciamungunza.com.br

 

Realizou com o AIVU Teatro as temporadas 2013 e 2014 do SESI Viagem Teatral - ação arte-educação.

 

http://gustavosarzi.blogspot.com.br

 

"Meu corpo é um macaco pelado e minha mente um papagaio tagarela. Eu fico a observar os movimentos desses dois de acordo com as peripécias do acaso. E dentro da inexistência de espaço e tempo me diluo no vazio, onde a forma é o que é."

My name. Click to edit me.

MARISA REBOLLO

Nasceu na cidade de São Paulo. Integra o A I V U Teatro desde 2014, atuando como diretora de arte.

 

É cenógrafa e arquiteta formada pela Escola de Arquitetura e Urbanismo Braz Cubas de Mogi das Cruzes, 1979.

 

Trabalhos realizados:

 

Cenografia e Figurinos:

- Assistência de cenografia na telenovela “O profeta”, Rede Tupi, 1978.

- Assistência de cenografia na telenovela “Dinheiro Vivo”, Rede Tupi, 1979.

- Média metragem “Carlota – Amorosidade”, de Adilson Ruiz, 1986.

- Longa metragem “O homem que virou suco”, de João Batista de Andrade, 1979.

 - Longa metragem “Real desejo”, de Augusto Seva, 1986.

- Peça Teatral “Divinas palavras”, sob direção de Iacov Hilel, 1980.

- Peça Teatral “Campeões do mundo”, sob direção de Antônio Mercado, 1981.

- Peça Teatral “Cala boca já morreu”, sob direção de Ednaldo Freire, 1981.

- Peça Teatral “As quatro meninas”, de Pablo Picasso, sob direção de Iacov Hillel.

- Peça Teatral “Besame Mucho”, sob direção de Roberto Lage, 1982.

- Peça Teatral “Sai da frente que atrás vem gente”, sob direção Mário Mazetti, 1984.

- Peça Teatral “Papai e mamãe – conversando sobre sexo”, de Mário Prata, sob direção de Flávio de Souza, 1984.         

- Peça Teatral “Crocodilo do Nilo”, sob direção de Paulo Yutaca, 1985.

- Peça Teatral “O capeta de Caruaru”, sob direção de Ednaldo Freire, 1991.

- Peça Teatral “As filhas de Janete Clair”, de Jandira de Souza, 1996.

- Peça Teatral “O fingidor”, sob direção de Samir Yazbek, 1999.

- Peça Teatral “Estrela Cigana”, 2007.

- Peça Teatral “Retratos de Augustus John”, sob direção de Hugo Coelho, 2007.

- Peça Musical “Aída”, adaptação de Elton John e Tim Rise., 2008

-  Peça Infanto- Juvenil “Amazônia adentro “’ , produção Canto em Contos, 2010

- Peça Infantil “ O que eu Sonhei, produção CIAZIN, 2011

- Peça infantil “Por um Fio “- produção Canto em Contos, 2012

- Peça infantil “Contos de Clarice,sob direção de Calixto de Inhamuns, 2012

- Peça infantil “Pandolfo Pereba”, produção Circo de Trapo, 2013

- Peça Teatral "A Próxima História", do grupo AIVU Teatro, 2014

- Peça Teatral "O monstro", produção Desembuxa Entretenimento, 2018

- Figurino da Ópera "Pelleás et Melisánde" de Debussi, direção de Yacov Hillel, produção Theatro Municipal de São Paulo, 2018.

- Peça Teatral "As irmãs Siamesas", produção Desembuxa Entretenimento, 2018

- Peça Teatral "Jardim de Inverno", direção Marco Antônio Pâmio, 2019

- Cenário da peça teatral "Relação a dois", direção  de Hudson Glauber, 2022.

- Cenário e figurinos  da peça teatral "Apesar de tudo”, direção  de Hélio Cícero, 2023.

Exposições:

- Criação e execução da ambientação cenográfica da exposição “Modernismo – Paris anos XX”, realizado pelo MAC – USP, 1995.

- Montagem da exposição infantil “Histórias de grandes artistas”, realizado pelo realizado pelo MAC – USP, 1995.

- Criação e execução da ambientação cenográfica da exposição “Burle Marx – artista paisagista”, realizado pelo MAC – USP, 1997.

- Criação e Execução da Ambientação Cenográfica da Exposição "Retrato Popular", realizado pelo SESC Belenzinho, 2016. 

 

Outras Atividades Profissionais:

Trabalhos em arquitetura e design, fotografia e produção de cenário e figurino para cinema e teatro.

Prêmios Recebidos:

- Prêmio MINC – INACEM, Troféu Mambembe de cenografia com a peça “Crocodilo do Nilo”, 1985.

- Prêmio APETESP de Teatro – Troféu Figurinos com a peça “Crocodilo do Nilo”, 1985.

- Prêmio APCA – Exposição “Modernismo – Paris anos XX”, 1995.

- Prêmio APLAUSO - Troféu de Arquitetura Cênica com o cenário da peça "As Irmãs Siamesas", 2018.

 

De 2001 a 2009 ministrou aulas de cenografia, figurino, e artes plásticas na escola de teatro “Casa do Teatro”, sob direção de Lígia Cortez.

My name. Click to edit me.

RENATA VENDRAMIN

É paranaense, nasceu na cidade de Paranavaí. Em 2010, junto com outros artistas-criadores, cria a CIA. DA FULÔ, que em 2012 torna-se A I V U teatro, onde atua como artista-criadora e produtora desde então.



Em 2004, formou-se na Escola Técnica de Teatro Cena  Hum Academia   de  Artes  Cênicas  e  no  curso  de Comunicação Social Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná, em Curitiba;



Em Curitiba trabalhou com a Cia. Curitiba de Comédias, a Ganesh Cia Cênica de Teatro e diretores independentes. Os principais espetáculos que realizou foram: ‘Theatresports’, direção: Franklin Albuquerque; ‘Vestibular no Teatro’, direção: Chico Pennafiel; ‘Corações em Metanol’, texto e direção: Thiago Daher; ‘A Mente Capta’, direção: Humberto Gomes; ‘A Casa da Mãe Joana’ e ‘Bastidores’, direção Juscelino Zílio e Márcia Gomez; ‘A Química do Amor’, direção Humberto Gomes; ‘Quarto de Hotel’, direção Humberto Gomes;


Em 2005 concluiu a Especialização Lato Sensu em Cinema e Vídeo com ênfase em baixo orçamento na Faculdade de Artes do Paraná, cujo tema do relatório reflexivo foi ‘A Construção da Personagem Cinematográfica’. Em 2006 mudou-se para São Paulo.

 

Na capital paulista participou dos seguintes cursos e estudos: 

- CEPECA - Centro de Pesquisa em Experimentação Cênica do Ator - da USP, sob orientação do Prof. Dr. Armando Sérgio da Silva, de 2006 a 2009; e retorna em 2012 até agora;
- Núcleo de Pesquisa O Ator em Processo, do Grupo XIX de Teatro de São Paulo;
- Curso de Interpretação Cinematográfica do Ateliê de Artes e Ofícios, com Márcio Mehiel. Técnica físico-energética, até 2008;
- Curso de História do Teatro com Antônio Rogério Toscano na Escola Livre de Teatro de Santo André – ELT, de 2007 a 2009;
- Contato Improvisação com Ricardo Neves e Bárbara Nunes;
- Caminho do Canto, com Andrea Drigo;
- Núcleo Experimental do SESI 08/09, sob coordenação de Carlos Martins, direção de Roberto Lage;
- Curso Livre de Yoga para formação de instrutores de Hatha Yoga no Omkarananda Ashram, com Otávio Vieira, em 2009. Curso de Capacitação em Yoga do IEPY (Instituto de Ensino e Pesquisas em Yoga) com coordenação de Marcos Rojo, em 2011. Curso de Filosofia do Yoga no Instituto Paulista de Sânscrito - IPS, com coordenação de João Carlos B. Gonçalves, em 2015; Curso de Anatomia Aplicada ao Yoga I - O aparelho locomotor e a mecânica da prática, na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, com direção da Prof.ª Dra. Mirna Duarte Barros e coordenação do Prof. Me. Denival Soares Galdeano, em 2017.


Principais espetáculos realizados em São Paulo:
‘Sonhos de Amor Rasgado’, direção de Rodolfo Amorim; ‘Um Ônibus Chamado SP’, direção: Armando Sérgio; ‘A Mulher e o Cisne’, direção Laura Lucci; Espetáculo Infantil ‘Brotando Alegria’, direção: Denise Haddad e Nicolas Monastério; ‘O Bailado de Flávio de Carvalho’, direção de Roberto Lage.  


Principais curtas e longas realizados:
Curtas digitais ‘Balões Infláveis’ - exibido no Festival de Tiradentes – MG, direção: Alessandro Yamada; ‘Que Amor é esse?’, direção: Márcio Mehiel; ‘A Sacerdotisa’, direção: Ruy Veridiano; longa-metragem ‘Quer Saber?’, direção: Paulo de Tarso Disca, selecionado para a 31ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.


Outros trabalhos como atriz:
Leituras Dramáticas dos textos ‘Edifício Marisa’, de Marcello Jordan, direção: Fernando Neves; ‘Freak Show – A sociedade do espetáculo’, de Luise Cohen, no Festival de Teatro de Curitiba, direção: Eric Lenate, ambos produção do Núcleo de Dramaturgia do SESI/SP – British Council.
Participação na série de TV independente ‘Na Batalha’, e de uma série de vídeos didáticos sobre poesia para a FTD, ambos produzidos pela Produtora ACERE.

 

Trabalhos artístico-pedagógicos:
- Trabalho de corpovoz realizado, como estágio, na disciplina “Laboratório de Montagem”, ministrada pelo Prof. Dr. Marcelo Braga de Carvalho, no curso de Licenciatura em Artes Cênicas da Faculdade Paulista de Artes, 2015.
- Oficina “Teia Dramatúrgica: dramaturgia cênica tecida com palavra, música e dança”, ministrada em Bogotá, Colômbia, na sede do Grupo de Teatro Varasanta. Atividade do projeto “Inter-Câmbios América Latina”, realizado pelo CEPECA da USP, 2014.

- Mostra CEPECA na Escola de Teatro Macunaíma. Demonstração de processo da peça “A Próxima História” e apresentação da pesquisa de mestrado. 2013.
- Professora assistente na disciplina “Oficina Teatral” na Academia de Artes Cênicas Cena Hum, Curitiba, PR, 2005.
- Professora da disciplina “Teatro Infantil – Iniciação II” na Academia de Artes Cênicas Cena Hum, Curitiba, PR, 2005.

 

Montagens com alunos:
- Trabalho corpovoz:
Peça “Put some farofa”, texto de Gregório Duvivier. Direção: Marcelo Braga, na Faculdade Paulista de Artes, 2015.
- Assistência de Direção:
Peça “Corações Solitários”, texto Rubem Braga. Direção Humberto Gomes, na Academia de Artes Cênicas Cena Hum, 2005.
Peça “Sonho de uma Noite de Verão”, texto de William Shakespeare. Direção Humberto Gomes, na Academia de Artes Cênicas Cena Hum, 2005.
- Direção:
Peça “Soldadinho de Chumbo”, em parceria com Andréa Assumpção, na Academia de Artes Cênicas Cena Hum, 2005.



Em 2015 concluiu seu mestrado em Artes Cênicas pela Universidade de São Paulo, USP, cujo título é "Teia Dramatúrgica: trajetos sinuosos de uma atriz em fluxo e ritmo criativos", com orientação do prof. dr. Eduardo Tessari Coutinho. Para acessar a dissertação: 

http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27155/tde-24112015-164917/pt-br.php

É praticante de Hatha Yoga desde 2005 e instrutora desde 2010 .

"Eu sou menina do interior. Daquelas que cresceu com os pés descalços na terra e fruta gostosa nas mãos.

Vivia com os cabelos desgrenhados pelo vento, e os olhos abertos que não cabiam no rosto, curiando o mundo.

 

Aos 6 anos entrei pela primeira vez num teatro. A Casa de Cultura da pequena cidade onde nasci. Meu coração bateu diferente. Nada acontecia no palco. O espaço sagrado do encontro me emocionava. Estava feliz por estar ali.

Quando vi os atores então... meu coração não coube no peito: que seres eram aqueles capazes de transformar-se em muitos? De onde vinham aqueles mensageiros que me traziam algo novo, diferente, desconhecido para a minha pele ? Que imaginavam outras realidades... Um outro jeito de olhar para a realidade...

Esse sentimento está vivo na minha memória e latente no meu coração.

Toda vez que eu olho nos olhos sensibilizados do público, seja criança, adulto mulher, homem ou velho é como se eu me reconectasse àquela sensação primeira-original, da menina do interior, buscadora inocente, curiando o mundo, que fez com que eu trilhasse o meu caminho guiada pela memória, pelo coração e pela intuição. Sigo caminhando."

RAFAEL DE BARROS
Foto_Rafa_site.jpg

Nasceu no ABC paulista, na cidade de Santo André. Integra o A I V U Teatro desde 2022.

 

É Doutorando em Artes Cênicas pela USP. Autor do livro “Palhaço de Rua - A experiência de um artista latino americano - um estado de risco”. É Mestre em Artes Cênicas também pela USP - onde desenvolveu uma pesquisa sobre o Palhaço de Rua Latinoamericano. 

Em 2019 foi vencedor do Programa Nascente USP na Categoria Artes Cênicas com seu espetáculo solo "El General". Fez residência artística na Escola de Palhaços de Barcelona - Cal Clown (ESP). Graduou-se em Artes Cênicas pela Universidade Estadual de Londrina (PR). Integrante Grupo de Pesquisa CEPECA - Centro de Pesquisa em Experimentação Cênica do Ator da Escola de Comunicação e Artes da USP, desde 2016.

 

Fundador do Exército Contra Nada (2011), Rafael de Barros pesquisa a comicidade desde 2008. Tendo no repertório os espetáculos: "El General" e "Mundano", “Estado de Risco” e “Caravana Zona Leste”. Com esses trabalhos, apresentou em mais de 300 cidades, por 8 países diferentes, consolidando uma carreira internacional.

 

Integrante do grupo Palhaços Sem Fronteiras Brasil, que atua em locais de alta vulnerabilidade social, desde a sua fundação em 2016. Já realizou diversos projetos no Brasil e uma jornada de apresentações no México para imigrantes e afetados pelo terremoto de 2017.

 

PRÊMIOS:

PROMIC 2014 - Circulação do espetáculo "El General" Londrina - PR

PROAC 2016 - Criação e Circulação de Número Circense - São Paulo - SP

FOMENTO AO CIRCO - 2018 - Criação e Circulação de Número Circense - São Paulo - SP

NASCENTE USP 2019 - Vencedor da Categoria Artes Cênicas

PROAC  2020 - Histórico de Circo

FOMENTO AO CIRCO 2021 - Exército Contra Nada - 10 anos de um Circo de Rua

bottom of page